Paris devolve o Rio Sena às pessoas

No projeto carros dão lugar à pedestres, ciclistas, cafés e até mesmo a um cinema ao ar livre.

No projeto carros dão lugar à pedestres, ciclistas, cafés e até mesmo a um cinema ao ar livre na frente da prefeitura.

Um ambicioso projeto do prefeito parisiense Bertrand Delanoë prevê a remoção de até 2km de vias expressas na margem esquerda do rio Sena para dar lugar a áreas de lazer, com quadras de vôlei, cafés, decks, jardins flutuantes e até mesmo um cinema ao ar livre. Já na margem direita do Sena, os automóveis terão a sua circulação e velocidade mais limitados, com mais semáforos e travessias de pedestres.

Acima, a margem esqueda do rio Sena como é hoje, em frente à prefeitura.

“O fato é que o automóvel não tem mais lugar nas grandes cidades do nosso tempo.” – Bertrand Delanoë, prefeito de Paris, 2012.

Pela via expressa da margem esquerda foi construída na década de 60 e por ela passam diariamente 40.000 veículos, chegando nos horários de pico a 4.000 carros por hora.  A via Georges Pompidou, como é chamada, é atualmente a maneira mais direta e rápida de se atravessar a cidade de leste a oeste. Com as mudanças a prefeitura de Paris estima que os motoristas terão apenas seis minutos a mais de viagem.

Segundo a administração municipal, essas mudanças são apenas o primeiro passo. Graças às políticas de mobilidade de Delanoë, Paris viu nos últimos anos uma redução de 20% na utilização do automóvel particular.

Enquanto isso em Porto Alegre, a administração municipal está construindo um viaduto em plena orla do Guaíba e alargando a avenida Beira-rio. Indo num caminho completamente oposto. Será que tudo isto vai ser feito para ser desfeito daqui a alguns anos?