Por uma cidade sem viadutos.

Se de um lado estamos olhando a uma possível (temporária?) vitória na questão da trincheira da Rua Anita Garibaldi, que a administração municipal parece estar deixando de lado tendo em vista o desgaste político, de outro lado as obras de outros viadutos e trincheiras seguem o seu calendário.

Hoje começaram as obras do viaduto de dois andares da Av. Bento Gonçalves, mais uma obra, entre outras tantas, que não vai solucionar os problemas de trânsito e mobilidade, mas vai degradar a área ao seu redor, tornar mais difícil e desagradável a vida das pessoas que vivem e circulam pelo local, vai dificultar a circulação de pedestres e ciclistas, que correrão maiores riscos e terão que caminhar maiores distâncias, vai aumentar a poluição atmosférica, sonora e visual, pois ao contrário do que apresenta a simulação da Prefeitura essa poluição se acumula no ar e nas superfícies, causando sujeira e problemas respiratórios.

Acima: simulação da Prefeitura ignora a poluição atmosférica e fuligem acumulada ao redor do viaduto.
Abaixo: simulação com fuligem e poluição.

Portland nos E.U.A.: VLT e traffic calming.

Precisamos começar a pensar em como é a cidade na qual queremos viver. A cidade da imagem a cima ou a cidade da imagem ao lado? A diferença é entre investir em transporte motorizado individual ou investir em transporte coletivo de qualidade, traffic calming e na qualidade de vida. Exemplos a seguir existem vários: NY por exemplo, transformou um antigo viaduto ferroviário que degradava a cidade em um parque com 1,6 km de extensão (o High Line Park) e San Francisco aproveitou que um terremoto danificou a estrutura de uma free-way que atravessava a região portuária para demolí-la e revitalizar

High Line em Nova Iorque, valorizou os imóveis da região.

a região (Embarcadero). Qualquer cidade no mundo que esteja na vanguarda da mobilidade, do planejamento urbano e da qualidade de vida já percebeu que a solução para o trânsito e para a qualidade de vida nos grandes centros urbanos não passa pela construção de viadutos e investimento no automóvel particular. Pelo contrário as grandes cidades do mundo estão restringindo e dificultando o uso do automóvel, com pedágios urbanos e redução dos espaços de estacionamento e circulação de automóveis.

Viaduto planejado para a Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Av. Beira Rio).

Enquanto isso, em Porto Alegre estamos construindo e planejando diversos novos viadutos, são pelo menos cinco na Terceira Perimetral,mais um em frente a Estação Rodoviária e um em plena orla do lago Guaíba. E o que vamos fazer a respeito? Vamos continuar acreditando nas imagens e soluções falsas que nos vendem? Ou vamos lutar por cidades com transporte público de qualidade, cidades caminháveis e com qualidade de vida e por verdadeiras soluções para o trânsito?

Anúncios

13 respostas em “Por uma cidade sem viadutos.

  1. Pingback: Por uma cidade sem viadutos. | O Cético

  2. Hoje li no Metro que mais rua do Centro, a José Montuary, no entorno da antiga estação da praça XV, deverá ser aberto para carros, durante a noite. Não consigo entender, pra que cada vez mais espaço para carros nas ruas minúsculas do centro.

  3. Usam como argumento para este trambolho da Bento o fato de que “também” vai melhorar o fluxo dos ônibus. Mas isso é balela: com a tecnologia atual, é uma coisa extremamente simples instalar semáforos que sejam atuados pelos próprios ônibus, à medida que se aproximam do cruzamento, e custa talvez um milésimo do valor do viaduto. Além disso, aquele cruzamento tem um semáforo de três tempos (para quem vem pela 3ª Perimetral sentido N-S e vai pegar a Bento à esquerda). Com o viaduto, é provável que esses veículos tenham que fazer uma alça de quadra para seguir esse rumo. Ou seja, boa parte da solução (reduzir o semáforo para 2 tempos) não precisaria do viaduto.

    Quanto ao viaduto Pinheiro Borda, perto do Beira-Rio, é um descalabro em termos urbanísticos e de eficiência no uso do dinheiro público. Se aquela região sofre com engarrafamentos, isso ocorre em dois momentos do dia: de manhã cedo, quando as pessoas vêm da Zona Sul para o Centro, e no final da tarde, quando as pessoas estão voltando. Para resolver isso, basta ajustar os tempos dos semáforos, de modo que fiquem abertos por mais tempo no turno da manhã para quem vem no sentido Bairro-Centro e o oposto no sentido Centro-Bairro.

    Com o dinheiro que sobra, poderíamos construir 500km de ciclovias na cidade.

  4. Eu não consigo entender como a Prefeitura pode impunemente construir viadutos sem quaisquer estudos de tráfego e Estudos de Impacto de Vizinhança, obrigatórios por Lei. A falta de justificativas técnicas, imprescindíveis em qualquer gasto de dinheiro público, remete à conclusão de que os interesses em jogo não são da sociedade.

  5. Por que os governos gostam de gastar o seu dinheiro em obras faraônicas?
    Desde o tempo das pirâmides!

    Mesmo problema do metrô: SUBSÍDIO COM O TEU IMPOSTO!
    Obra eleitoreira que tu, teus filhos e netos vão pagar indeterminadamente!!

    Assim como esta obras da copa! Quem vai pagar os financiamentos desta farra de viadutos? Não é o José Fortunati II!!

    Vejam aqui um artigo interessante: A construção do mais inadequado – por que a pior infraestrutura é construída.
    http://www.sbs.ox.ac.uk/centres/bt/Documents/UnfittestOXREPHelm3.4PRINT.pdf

  6. Pingback: Página não encontrada | Porto Alegre Ruas Vivas

  7. Ruas Vivas, gostaria de perguntar-lhes onde vocês encontram essas imagens e tomam ciência desses projetos? Obrigado e excelente trabalho! Um abraço!

  8. O engraçado é que todos falam nos carros, na falta de espaço para os ciclistas, pedestres, viadutos, tranqueiras, mas ninguém deixa de andar de carro. Todo mundo quer comprar carro e ninguém abre mão do carro, inclusive muitos dos que falam e reclamam das obras e das tranqueiras. A verdade é que todo mundo gosta de ter e andar de carro, ou não é ?

  9. Fique parado em um dos pontos da Av. Ipiranga durante um período e depois me diga, quantos ciclistas você viu passar na ciclovia nesse tempo?

  10. Uma determinada vereadora em PAlegre, bandeira numero um nos protestos contra a derrubada de arvores para duplicação da Av. Beira Rio….. Mora no bairro Mont Serrat, só sai de carrão para vir para a Câmara, não anda de bicicleta e também contribui para os engarrafamentos. Por que os vereadores não vem de ônibus para a Câmara, não diminuiria os engarrafamentos ? Ah !! eles querem que nós andemos de ônibus e bicicleta, né…….

  11. Para quê viaduto se pode ter o trânsito trancado por mais tempo e os carros ligados parados queimando combustível por causa do trânsito ruim, né?

  12. Precisamos de muito mais viadutos; os da terceira, porém, já deveriam estar prontos a décadas . Além disto necessitamos de substituir os ônibus por monotrilhos. Eita paizinho atrasado , com esta gente ai com estas manias de ecologicamente corretos…quero ver andar de bicicleta na chuva…kkkk kkkkk kkkkkkkkkk kkkkkk. …só rindo pra não levar isto a sério.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s